sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Menina troca buffet por festa com crianças no lixão

Uma menina de 6 anos deu uma lição de humildade, amizade e solidariedade.
Alana abriu mão de uma festa em buffet, e pediu para comemorar seu aniversário com as crianças que vivem na região do lixão da favela Cidade de Deus, no bairro Dom Antônio Barbosa, no Mato Grosso do Sul.

A festa da garotinha, que mora em Campo Grande, foi no fim de semana passado (25).
Os pais da menina, a bióloga Gisseli Giraldelli, 33, e o microempresário Nei Santos, 38, tentaram convencer Alana do contrário, porque, no local, seria difícil controlar o acesso.
Mas Alana bateu o pé e, neste ano, dispensou o buffet que marcou a comemoração do ano passado.
“Ela chegou para mim e para o pai dela e disse: Já tive festa com meus amigos da escola, da natação e agora quero com meus amigos da evangelização, porque eles não tem aniversário”, conta a bióloga.
“Ficamos receosos porque todos os eventos lá são muito trabalhosos e é muito difícil você restringir a entrada. Brota criança”, completa.Religião
O linguajar da menina remete à religião e tem mesmo essa ligação. 

Alana fez amizades no bairro depois que Gisselli e Nei passaram a visitar a região regularmente como voluntários de um projeto mantido por um grupo espírita da qual fazem parte.
Há quase dois anos, o casal, acompanhado dos filhos, Alana e Vitor, de 2 anos, e de pelo menos 30 pessoas, visitam a favela para evangelizar e prestar assistência social às famílias mais carentes.
Com sempre foi junto, a menina fez amigos e, por isso, desta vez, quis celebrar a nova idade com a galera do Dom Antônio.

Presente
“Convidamos nossos amigos e, ao invés deles levarem presentes, doaram material: bolo, cachorro-quente, refrigerante. Eles também trabalharam, ajudaram a servir e a organizar tudo. Mobilizamos mais de 100 voluntários”, relata.
Deu tudo certo. O aniversário, que aconteceu na sede de uma instituição que está sendo construída pelo grupo, começou às 14h30 e só terminou às 17h.
Reuniu, segundo a bióloga, cerca de 520 pessoas do bairro, fora os convidados de Alana que, em 2013, cantaram parabéns no salão.

Foi uma festa completa, com direito a pipoca, cachorro-quente, salgadinho, refrigerante, bolo, brigadeiro, beijinho, algodão doce, picolé e muita, mas muita brincadeira, relata a mãe.
“Teve pula-pula, brinquedos infláveis, piscina de bolinha, escorregador..."

A aniversariante se divertiu à beça com os amigos.
Ela se pendurou na árvore, brincou na areia e se sujou como qualquer criança.
Voltou para casa realizada. “Ela achou o máximo. Falou: 'Mãe, minha festa está massa'. Ela brincou o tempo todo e ganhou até presente. Um menino da comunidade, um pequenininho de 6 anos, chegou e entregou um para ela”, diz.

Fonte Só Noticia Boa
Siga @condominos

Lixo reciclável vale livros e alimentos no sul




Trocar lixo reciclável por comida, para pessoas carentes.
A Prefeitura de Curitiba, no Paraná, está fazendo isso e ajudando dos dois lados.
Reduz a quantidade de lixo na cidade e complementa a alimentação das famílias.
A Prefeitura já possuía um projeto que trocava lixo orgânico por vale-transporte, desde o fim dos anos 80.
Alguns anos depois, com uma supersafra de repolho que aconteceu, o governo percebeu que o vale-transporte poderia ser substituído por alimentos e assim surgiu o Programa Câmbio Verde.
Como funciona
A cada quatro quilos de lixo, cada pessoa ganha um quilo de frutas e verduras.
As trocas acontecem a cada 15 dias em postos de atendimento.
O programa promove o escoamento da safra de produtos hortigranjeiros dos pequenos produtores de Curitiba e da Região Metropolitana, cria na população o hábito de separar o lixo orgânico do inorgânico, sensibiliza a comunidade para a correta destinação final dos resíduos e reforça a alimentação para pessoas que possuem pouca renda financeira.
Escolas
O Câmbio Verde Especial, que é realizado nas escolas públicas municipais consolida nas crianças o espírito de separar o lixo e conscientizá-las da importância da reciclagem para o bem estar social de todos.
Nas escolas, o lixo é trocado por cadernos, brinquedos, chocolates, ingressos para shows, etc.
Fonte Só Noticia Boa
Siga @condominos

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Armazenamento incorreto de água pode trazer complicações à saúdeagua

Em tempos de escassez de água nas torneiras, toda sorte de artifícios para armazenar e garantir o produto em casa é posta em prática. Mas, cuidado! Dependendo do modo como a água é conservada, toda a família pode estar em risco.
É o que explica a química Flávia Souza, proprietária de um laboratório de análise de água, alimentos e cosméticos de Bauru. “Não adianta adquirir água de uma fonte confiável se ela for guardada de maneira inadequada”, frisa.
Para consumo humano, cozimento de alimentos, banhos e lavagem de louças, a água estocada – com exceção da mineral, envasada de fábrica - deve receber adição de hipoclorito de sódio. A regra vale, inclusive, para as aquisições feitas de caminhões-pipa particulares ou mesmo do Departamento de Água e Esgoto (DAE).
“Não adianta ferver, porque nem todas as bactérias morrem. Para cada mil litros de água, basta adicionar um litro de hipoclorito de sódio, ou, para cada litro de água, uma colher da substância, que não é a água sanitária usada para limpeza de casa. Depois disso, o recomendado é aguardar cerca de duas horas para poder ingerir a mistura”, ensina.
Depois de receber este tratamento, a água deve ser, preferencialmente, armazenada na geladeira, longe da luz e do calor, em um vasilhame tampado. “Ao sol, o cloro da água potável evapora mais rapidamente. Mesmo se o recipiente estiver vedado, ele perde suas propriedades. Além disso, o calor também favorece a proliferação de micro-organismos”, pondera Flávia.
A química também alerta para as condições dos vasilhames onde a água será conservada. O ideal é que sejam novos, só tenham sido utilizados para guardar água e não tenham sido higienizados com produtos de limpeza. “Tomando todos estes cuidados, dá para deixar armazenado por, no máximo, seis meses”, acrescenta.
Consciência
Até por uma questão de consciência ambiental, Flávia também recomenda que as pessoas passem a captar água da chuva, que pode ser utilizada para limpeza de quintais, irrigação de jardins e lavagem de roupas. O mesmo vale para a água que é eliminada de aparelhos de ar condicionado.
“Dá para pegar a água da chuva, inclusive, através da calha. Basta usar uma tela na boca do recipiente para filtrar as sujeiras maiores, como folhas e galhos. É algo que pode e deve ser praticado até mesmo quando não houver falta d’água nas torneiras”, analisa.
Embora a atenção sobre as condições de reservatórios “alternativos” seja fundamental, a química alerta para a importância de manter as caixas d’água devidamente limpas. O recomendado é que a higienização seja feita a cada seis meses, apenas com uso de um pedaço de tecido limpo e sem qualquer produto de limpeza.
“A pessoa deve deixar apenas um pouco de água no fundo para poder limpar as paredes da caixa. Depois, jogar um pouco de água nas paredes para terminar a limpeza, esvaziar o restante e encher novamente”, ensina. Assim que a caixa estiver cheia, adicionar um litro de hipoclorito de sódio para cada mil litros de água.
De piscina
Moradora de um condomínio horizontal do Parque das Nações, Tânia Mara Maddi Zwicker Esbaille, 68 anos, está sem receber água da rua há duas semanas. Desde então, ela vem utilizando a água da piscina para as descargas dos vasos sanitários, limpeza do quintal e lavagem de roupas.
“Não chega água nem de madrugada. Até o jardim deixei de irrigar periodicamente”, reclama. Como mora em uma região mais elevada, Tânia fica sem abastecimento até nos dias em que o rodízio prevê a distribuição de água na região onde mora.
Para contornar o problema, ela comprou água de uma empresa, que abasteceu com caminhão-pipa suas três caixas d’água, que totalizam 5 mil litros. Como medida de economia, o volume reservado só é utilizado para banhos e preparo de alimentos. “Está dando pra economizar porque só moramos eu e meu marido. Senão, a situação seria ainda mais crítica”, lamenta.
Reuso e economia
Afetada pelo racionamento de água instituído pelo Departamento de Água e Esgoto (DAE) desde o dia 15 de outubro, a secretária Cristiane Marques Ferreira, 35 anos, adotou a estratégia “economia e reuso” para que o produto não falte em casa, nem mesmo nos dias previstos pelo rodízio. Desde que o sistema de revezamento começou, ela passou a estocar a água do enxágue da máquina de lavar roupas em um galão de 200 litros para fazer a limpeza do quintal.
“A água sai praticamente limpa e dá para usar tranquilamente. Lavo roupas uma vez por semana e, assim que armazeno, já limpo o quintal. Não fica muito tempo parada, então nem há risco de ser criadouro do mosquito da dengue”, comenta.
Para que não falte água nas torneiras, ela conta com duas caixas d’água: uma de 1 mil litros e outra, de 500 litros, que fica em uma edícula nos fundos da casa onde mora, na Vila Industrial. “Como somos apenas eu, meu marido e minha filha, a quantidade é suficiente para as 24 horas em que ficamos sem receber água da rua”, completa.
Alerta: danos podem ser desde leves até severos
Se não for armazenada corretamente, a água pode apresentar alterações no gosto, cheiro ou aparência, o que indica a presença de bactérias. Tratam-se de micro-organismos que podem provocar doenças como cólera, hepatite A, leptospirose e esquistossomose.
Segundo Cristiane Rosevelte e Silva, médica sanitarista da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, em alguns casos, as complicações podem ser severas. “O paciente pode até precisar ficar internado por vários dias, podendo evoluir, inclusive, para óbito”.
Nos casos mais graves, a água é contaminada por bactérias e vírus presentes na urina e fezes de animais e humanos. Mas é possível que outros micro-organismos provoquem disfunções como diarreia.
Fonte Jornal da Cidade de Bauru
Siga @condominos

Passou fome, dormiu em banheiro: é empresária

A história de Jan prova que nunca se deve perder a esperança.
Ela chegou a dormir no banheiro de uma rodoviária e passou fome, mas superou e venceu.
Na infância humilde Jan K de Oliveira Marques viveu em casa simples, sem luz elétrica e sem água encanada, num bairro de periferia.
Hoje ela é uma empresária, com uma história inspiradora.
Trajetória
Ao sair de sua cidade, com apenas uma mala e quinze folhas de papel em mãos, ela tinha uma missão a cumprir.
"Comprei meu primeiro negócio sem 1 real no bolso e paguei em 2 meses. Tinha planos altos e por isso sai de minha cidade com um sonho, transformar meu negócio em sucesso", lembra.
Primeiro negócio
Jan estava desempregada quando estreou como empresária.
Ela recebeu uma proposta de uma amiga que estava vendendo a loja.
Sem dinheiro, ela combinou trabalhar durante 2 meses e depois ficar com o negócio.
Deu certo.
Pobreza de novo
Após dois anos ela resolveu expandir o negócio e foi pra São Paulo.
A viagem não deu certo e ela perdeu tudo.
"Certo dia, meu dinheiro começou acabar e fiquei sem dinheiro para pagar uma pensão que eu dormia. Não teve outro jeito: peguei minhas coisas e dormi por uma noite do terminal rodoviário do Tietê”, conta Jan.
"Paguei, entrei, fechei a porta do box, forrei o chão e dormi ali”, relata.
O mais difícil segundo a empresária não foi dormir no box do terminal rodoviário Tietê, foi ficar sem dinheiro para se alimentar.
A fome
"Quem disser a você que a fome doí, ela doí de verdade. Comecei a conversar com uma pessoa, porque ela estava comendo uma bolacha, e eu pensei. Quem sabe ela me oferece?", lembra.
Volta por cima
As dificuldades não fizeram Jan desistir.
Ela ficou em São Paulo e quando estava na pior de novo, uma cliente fez um pedido de perfumaria e acessórios. Ela fechou a venda e deu a virada.
Sucesso
Passados os tempos difíceis, Jan alavancou uma empresa do zero e construiu uma marca que comercializa negócios milionários.
A empresária é sócia de Nilson de Oliveira e Renato Costa, proprietários da marca Luxor Perfumes & Cosmetics.
A empresa desponta no segmento de licenciamentos de famosos, como a cantora Anita (foto) que tem uma linha de perfumes.
Hoje a empresa possui oito funcionários diretos e 148 indiretos, 3 laboratórios associados e três mil distribuidores em todo pais.
Fonte Só Noticia Boa
Siga @condominos

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Células-tronco modificadas matam tumores do câncer


#Ciência #CélulasTronco #Tumores #Câncer #Tratamento 

Nova esperança contra o câncer.
Cientistas da Escola de Medicina de Harvard conseguiram modificar geneticamente células-tronco e deixá-las fortes para lutar contra o câncer cerebral.

A pesquisa
Em uma experiência com ratos, as células-tronco foram geneticamente modificadas para produzir toxinas que podem matar tumores no cérebro, sem matar as células normais.
O próximo passo será testar o mesmo processo em seres humanos.

"Depois de fazer toda a análise molecular e de imagem para controlar a inibição da síntese de proteínas dentro de tumores cerebrais, nós vimos as toxinas matarem as células cancerígenas", explicou Khalid Shah, principal autor da pesquisa e diretor do Laboratório de Neuroterapia no Hospital de Massachusetts e na Escola de Medicina de Harvard.

"Toxinas para matar o câncer têm sido utilizadas com grande sucesso em uma variedade de tumores sanguíneos, mas eles não funcionam bem em tumores sólidos, porque os tumores não são tão acessíveis e as toxinas têm uma vida curta."

Mas geneticamente, a manipulação de células-tronco pode ter mudado tudo isso, segundo Khalid Shah.

"Agora, temos células-tronco resistentes a toxinas que podem fazer e liberar essas drogas que matam o câncer", explicou.

O estudo, publicado no jornal científico Células-tronco, foi resultado de um trabalho de cientistas do Hospital de Massachusetts e do Instituto de Células-Tronco de Harvard.

Como
Eles passaram muitos anos estudando uma terapia com células-tronco que pudesse curar o câncer.

A ideia seria que as células-tronco produzissem algo capaz de matar células cancerígenas, mas que não tivesse efeitos negativos sobre as células normais.

Ou seja, as células saudáveis não teriam risco algum de serem atingidas pela toxina.
Os cientistas, então, modificaram geneticamente as células-tronco para conseguir fazer isso.

Morte das células doentes
Nos testes em animais, as células-tronco foram colocadas no gel e depois em um tumor cerebral depois de ele ter sido retirado.

As células cancerígenas morreram na hora, como se elas não tivessem nenhum tipo de defesa contra a toxina.

Para Nell Barrie, cientista do Instituto de Pesquisa de Câncer do Reino Unido, o estudo teve resultados excelentes, mas é preciso ter cautela porque ele traz uma "abordagem engenhosa".

"Precisamos urgentemente de melhores tratamentos para tumores cerebrais e isso pode ajudar em um tratamento direto exatamente onde ele é necessário."

Nell reiterou que esse tipo de pesquisa poderia ajudar a aumentar as taxas de sobrevivência e trazer progresso muito importante para a cura do câncer cerebral.

Já Chris Mason, professor de medicina regenerativa na Universidade de Londres, disse que esse estudo é "bastante inteligente e indica que há uma nova onda de tratamentos contra o câncer surgindo".

"Isso mostra que podemos atacar tumores sólidos colocando mini-farmácias dentro do paciente que liberam as toxinas diretamente no tumor. Essas células-tronco podem fazer tanta coisa. É assim que o futuro será."

Fonte Só Noticia Boa

Siga @condominos

Chá e frutas cítricas podem prevenir câncer de ovário


#Chá #Frutas #Câncer #Tratamento

Beber chá e comer frutas cítricas, como laranja e limão, são hábitos que ajudam a prevenir o câncer de ovário, tipo mais agressivo de tumor ginecológico. Segundo um novo estudo feito na Inglaterra, consumir duas xícaras de chá preto por dia, por exemplo, reduz em até 31% o risco da doença.

Os resultados preliminares da pesquisa foram divulgados nesta terça-feira, e o trabalho completo será publicado no fim de semana na revista científica American Journal of Clinical Nutrition.

O câncer de ovário não é o tumor ginecológico mais frequente entre as mulheres, mas é aquele com menores chances de cura. Na maioria das vezes em que os sintomas se tornam aparentes, a doença já está em um estágio muito avançado e é praticamente incurável. A incidência da enfermidade pode ter relação com o número de ovulações.

O novo estudo analisou os hábitos alimentares de 171 940 mulheres com idades entre 25 e 55 anos ao longo de mais de 30 anos.

Os pesquisadores concluíram que aquelas que consumiam diariamente alimentos que contêm flavonol, como o chá, e flavanonas, como as frutas cítricas e seus sucos, apresentaram um risco menor de desenvolver câncer de ovário. Esses dois compostos são derivados dos flavonoides, substância antioxidante e anti-inflamatória que já foi associada a uma série de benefícios à saúde, como redução das chances de problemas cardiovasculares.

“As principais fontes desses compostos, como chá e frutas cítricas, são alimentos facilmente incorporáveis na dieta. Então, simples mudanças na alimentação podem ter um impacto positivo na redução do risco de câncer de ovário”, explica Aedin Cassidy, uma das autoras da pesquisa e professora da Universidade de East Anglia, na Inglaterra.

Fonte veja

Siga @condominos

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Chocolate pode reverter perda de memória


#Chocolate #Memória #Tratamento #Curiosidades

Será que uma xícara de chocolate antes de dormir "pode ajudar a melhorar sua memória"?
Um novo estudo da Universidade de Columbia descobriu que o chocolate é muito mais que gostoso: ele pode combater o "esquecimento".
Os cientistas provaram que ele pode ajudar a afastar a demência, porque aumenta o fluxo de sangue para uma parte do cérebro, que ajuda a memória.
Os antioxidantes presentes no cacau podem reverter o declínio da memória associado ao envelhecimento em adultos saudáveis.

A introdução deste ingrediente na dieta é capaz de atenuar as alterações responsáveis pela degeneração de uma região específica do cérebro.

À medida que envelhecemos, nossas capacidades cognitivas, entre elas a aprendizagem e a memória, tendem a degradar-se, um processo que se inicia na idade adulta mas começa a afetar a qualidade de vida a partir dos 50 ou 60 anos.

Ao contrário de demências como o Alzheimer, trata-se de um declínio natural e, de acordo com a pesquisa publicada na revista científica Nature Neuroscience, pode ser revertido com flavonóides extraídos do cacau.

A Pesquisa
Para chegar a esta conclusão, os especialistas deram aos pacientes uma bebida contendo antioxidantes do cacau, desenvolvida pela empresa Mars, Incorporated unicamente para a pesquisa.

37 voluntários saudáveis com idades entre os 50 e os 69 anos, receberam uma dieta rica em flavonóides (900mg por dia) ou baixa em flavonóides (10mg por dia) durante três meses.

Antes e depois da experiência, eles fizeram ressonâncias magnéticas e testes de memória para avaliar a evolução do cérebro de cada participante.

Memória
"Quando fizemos as ressonâncias magnéticas, descobrimos melhorias significativas na função do giro dentado - região do hipocampo associada à memória e à aprendizagem - nos indivíduos que consumiram regularmente a bebida rica em flavonóides do cacau", explica, em comunicado, Adam M. Brickman, professor de neuropsicologia e principal autor do estudo.

Além disso, os voluntários daquele grupo conseguiram, também, melhores desempenhos nos testes de memória realizados.

"Se um participante tinha a memória típica de uma pessoa com 60 anos no início do estudo, três meses depois tinha a de uma com 30 ou 40, em média", afirma Scott A. Small, outro pesquisador do estudo.

Além de estarem presentes no cacau, estes antioxidantes podem, também, ser encontrados nas folhas do chá e em determinadas frutas e vegetais, embora as suas quantidades variem.

Novos estudos
Apesar dos bons resultados, os investigadores realçam que serão necessários estudos mais amplos - que deverão ser feitos pela mesma equipe no futuro - para confirmar estas descobertas.

Os cientistas norte-americanos alertam ainda que o produto usado no estudo não é igual ao chocolate tradicional. Assim, não é recomendável aumentar o consumo de chocolate para melhorar a memória.

Fonte Só Noticia Boa

Siga @condominos