sexta-feira, 27 de março de 2015

Vinho que não dá ressaca: criado nos EUA

Que tal um vinho que não causa ressaca? Será possível?
Cientistas da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, anunciaram esta semana que descobriram uma receita para fabricar um vinho mais nutritivo e que evita os sintomas da ressaca.
O truque é alterar o DNA da levedura que entra na fermentação maloláctica. 

Eles usaram a enzima Cas9  para 'cortar' o DNA modificando as estirpes de levedura.

A equipe descobriu ainda que os fabricantes de vinho podem clonar a enzima para melhorar a fermentação maloláctica, processo que ajuda a tornar o vinho mais suave.

Esta fermentação permite reforçar os antioxidantes do vinho, como o resveratrol, sem prejudicar sua qualidade. 

A pesquisa descobriu também que o mesmo sistema pode melhorar os valores nutritivos dos alimentos feitos com fermentação, como é o caso da cerveja, pão e picles.

“O vinho contém o componente resveratrol. Com a levedura alterada podemos melhorar a quantidade de resveratrol numa variedade de vinho, em dez ou mais vezes. Mas também podemos introduzir compostos bioativos de outros alimentos, como o ginseng”, explicou o professor Yong-Su Jin, líder da pesquisa.

Fonte Só Noticia Boa

Siga @condominos
T.O

Começam testes da vacina contra Ebola

O governo da Guiné e a OMS, Organização Mundial da Saúde, iniciaram o primeiro teste de uma vacina contra o ebola, na comunidade de Basse-Guinée, uma das áreas do país mais afetadas pelo surto.
Segundo a OMS, a vacina VSV-EBOV foi desenvolvida pela Agência de Saúde Pública do Canadá e quando as equipes de testes chegaram no pequeno vilarejo de Coyah, na segunda-feira, a resposta da comunidade foi "excelente".

EsperançaO representante da OMS na Guiné considera a operação um marco, por trazer esperança sobre se ter, em breve, um método de combate ao ebola, caso seja comprovada a eficácia e a segurança da vacina.
Segundo Jean-Marie Dangou, o começo dos testes clínicos da vacina nesta quarta-feira é um dos "passos mais importantes alcançados na busca de uma linha moderna de defesa contra o vírus ebola".
A vacinação
Médicos treinados, vacinas e outros equipamentos essenciais saíram da capital Conacri para o vilarejo de Coyah.
Neste primeiro momento, apenas adultos serão vacinados, porque são os que correm maior risco de infecção, de acordo com a OMS.
O método do anel funciona da seguinte maneira: primeiro, são identificados pacientes com ebola infectados recentemente. Depois, são vacinadas todas as pessoas que tiveram contato com o doente, criando assim um "anel de imunidade", com o objetivo de interromper a transmissão do vírus.
Método do Anel
Cerca de 10 mil pessoas devem receber a vacina contra o ebola em 190 "anéis".
Os testes podem durar entre seis e oito semanas.
Os voluntários serão acompanhados por três meses e os resultados estarão disponíveis em julho.
A OMS explica que a estratégia do anel foi utilizada na década de 1970 para erradicar a varíola e permite vacinar as pessoas com grande risco de contrair ebola.
A Organização Médico Sem Fronteiras, parceira da iniciativa, destaca que os testes de vacinação são voluntários, com participação confidencial e não remunerada.


Fonte Só Noticia Boa

Siga @condominos
T.O

quinta-feira, 26 de março de 2015

Dia de modelo para cachorros abandonados

Quer me adotar?É só ver a foto. Impossível resistir.
entidade norte-americana Humane Society of Utah encontrou um jeito divertidíssimo de fazer campanha de seus cachorros em busca de novas famílias.A ideia é fotografa-los como se estivessem em cabines de foto.

A HSU faz um belo trabalho com animais abandonados. 
Desde 1960, ela os acolhe, cuida e viabiliza adoções.


Como você pode ver abaixo, a campanha é sensacional. 


Quem não se alegra ao ver essas carinhas sapecas e carentes?
A ideia bem que poderia pegar aqui no Brasil.

Fonte Só Noticia Boa

Siga @condominos
T.O





Brasileira descobre possível substituto do silício

Uma pesquisadora brasileira - junto com seus colegas da universidade de Utrecht, na Holanda - teve seu estudo sobre um material que pode substituir o silício aceito pela revista Nature, que analisa as descobertas de cada trabalho antes de publicá-lo. 
O material em questão é derivado do telúrio e do mercúrio (telureto de mercúrio) e pode ser mais eficiente do que o grafeno para substituir o silício, componente básico para a criação do transistor, presente em processadores, ou chips eletrônicos.
Ele é, ao mesmo tempo, isolante e condutor. Ou seja, esse material pode revolucionar a computação quântica, tornando essas máquinas ainda mais potentes.

Cristiane Morais Smith (foto acima), professora do instituto de física teórica, chama a descoberta de “Santo Graal dos materiais” por reunir características do grafeno, como a alta condutividade, bem como o chamado “gap”. 
Esse gap consiste em uma banda valores de energia proibidos para os elétrons.

Isso permite que o material possa realizar o efeito Hall Quântico de spin, detalhado abaixo,  algo que o grafeno não pode fazer nem mesmo em baixas temperaturas. O novo material tem a capacidade de fazer isso em temperatura ambiente.
“Este material que nós propusemos combina as propriedades de materiais semicondutores usuais, como o silício, que é usado na nanotecnologia, com as propriedades do grafeno, que promete ser muito útil”, afirmou a profª. Cristiane, em entrevista a INFO

“Foi realmente uma grande surpresa, que um único material possa exibir todas estas propriedades, e isto simplesmente ao mudarmos a dopagem.”


Fonte Só Noticia Boa

Siga @condminos
T.O

quarta-feira, 25 de março de 2015

Beijos de cão podem fazer bem à saúde

Pode parecer nojento para muitos, mas uma pesquisa mostra "beijo" de cachorro - aquela lambida de carinho - pode fazer bem à sua saúde humana.
Cientistas da Universidade do Arizona, nos EUA, acreditam que a convivência com os cães pode atuar, no nosso organismo, como um "probiótico" que melhora o funcionamento das bactérias intestinais, responsáveis por parte da saúde física e mental à medida que envelhecemos. 
 
"Estas bactérias, que formam a chamada 'microbiota', são consideradas cada vez mais importantes para a saúde física e mental, em especial ao longo do envelhecimento", esclarece Charles Raison, professor de psiquiatria que vai coordenar a pesquisa.

Bactérias "boas"
 
Os cientistas explicam que o sistema digestivo humano guarda mais de 500 tipos diferentes de bactérias "boas" e "más". 

Entre as chamadas bactérias "boas" estão os probióticos (presentes, por exemplo, nos iogurtes), que trabalham para manter o intestino saudável e auxiliam na digestão dos alimentos, ajudando, ao mesmo tempo, a fortalecer o sistema imunitário. 
 
Em parceria com outras universidades norte-americanas, entre elas a Universidade de San Diego, na Califórnia, a equipe vai fazer novos testes para compreender se viver com um cão também encoraja o crescimento destes microorganismos positivos no intestino humano, contribuindo para melhorias ao nível da saúde física e mental. 

A pesquisa
A universidade procura pessoas com mais de 50 anos, com boa saúde e que não tenham tomado antibióticos nem vivido com um cão nos últimos seis meses. 

Cada participante vai "acolher" um companheiro canino na sua casa durante três meses e os investigadores vão avaliar, de forma não invasiva, fatores como as bactérias intestinais, a dieta, os níveis de atividade física e as funções imunitárias dos voluntários, bem como dos cães. 
 
Os cientistas vão também procurar "alterações na saúde mental e emocional dos humanos e dos animais".
Voluntários
 
No final da pesquisa os participantes terão a hipótese de adotar o animal que acolherem nas suas casas.
Durante o processo a universidade vai financiar todos os cuidados veterinários necessários e a alimentação dos cães.
 

Fonte Só noticia Boa

Siga @condominos
T.O

Aluno de medicina salva cardíaco durante vôo

Um estudante de medicina salvou a vida de um passageiro que teve um ataque cardíaco durante uma viagem de avião até Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. 
Craig MacLean, de 22 anos (foto acima) agiu rápido e conseguiu reanimar o homem, a 11.000 metros de altitude.
Segundo a agência de notícias escocesa Deadline News, MacLean seguia num voo da companhia KLM.
Ele ia para uma conferência sobre a saúde e o tabaco quando, as comissárias de bordo perguntaram se havia um médico a bordo. 
 
O jovem, natural de Glasgow, informou que ainda não está oficialmente qualificado para tratar pacientes, mas foi levado até ao homem, que se encontrava inconsciente. 
 
Apesar da inexperiência, MacLean, aluno da Universidade de Dundee, na Escócia, iniciou rapidamente os procedimentos de reanimação.
 
A ação
"O homem, de cerca de 50 anos, estava desacordado, então pedi que me ajudassem a deitá-lo no chão do corredor. Observei e percebi que ele não respirava e não tinha pulso", recordou MacLean.
 
"Foi aí que o 'alarme' tocou: é um ataque cardíaco. Preciso agir agora, e depressa, ou este homem vai morrer. Comecei a reanimação, pedi um desfibrilhador e disse à tripulação que tínhamos de fazer um pouso de emergência", contou à Deadline News.
 
Auxiliado por uma enfermeira holandesa e com a ajuda do desfibrilhador, foi possível "fazer o coração dele voltar a bater e ele começou a respirar", disse o estudante.
 
O avião pousou na Turquia. 
"A última vez que tive notícias foi após a aterrissagem e fiquei aliviado por me terem dito que ele está vivo", disse.


Fonte Só noticia Boa 

Siga @condominos
T.O

terça-feira, 24 de março de 2015

Anônimo doa 190 mil: tratar menino com câncer

Altruísmo puro!
Uma pessoa que não quis se identificar doou 40.000 libras, quase 190 mil reais, vai tornar possível o tratamento de um menino dois anos com neuroblastoma, um tipo de câncer raro e muito agressivo. 
Graças à generosidade desse benfeitor de identidade misteriosa, o pequeno britânico Kian Musgrove vai poder fazer uma terapia revolucionária nos EUA, e quem sabe se curar da doença.
Kian foi diagnosticado com neuroblastoma de estágio quatro em Outubro de 2013, depois que os médicos descobriram 27 tumores em redor dos seus rins e nos seus ossos. 

Apesar da quimioterapia e das diversas cirurgias a que foi sujeito, a equipe informou a família de que havia ainda 80% de possibilidade de o câncer voltar. 
 
A mãe do menino, Kat Musgrove, decidiu, então, lutar por uma nova oportunidade para o filho e iniciou um processo de angariação de fundos para juntar o dinheiro necessário - 140.000 libras (aproximadamente 192.000 euros).

Era esse o valor necessário para Kian participar de um ensaio clínico com um tratamento experimental, o DFMO, que tenta travar o retorno da doença através do bloqueio de uma célula específica. 
 
A terapia tem de ser iniciada, no máximo, 120 dias após o fim da última ronda de imunoterapia, e restavam cerca de 20 dias para que Kian excedesse este prazo limite. 

Solidariedade
Quando a esperança começava a fraquejar, um anônimo generoso, do Luxemburgo, decidiu intervir e doou à família o montante que faltava: cerca de 55 mil euros.
 
"Não consegui acreditar. Havia um bilhete junto com o dinheiro que dizia: 'Boa sorte para o seu filho'. Ainda custo a acreditar. Continuo a olhar [para a conta bancária] para ter a certeza de que o dinheiro está mesmo lá", contou Kat Musgrove, ao jornal Daily Mail.

A viagem
Musgrove, de 27 anos, anunciou na página criada para promover a causa de Kian no Facebook, que já comprou as passagens para a viagem até ao Michigan, nos EUA, onde o filho receberá o tratamento pioneiro previsto.
 
"Quero muito isto para o Kian e quero muito que resulte, mas estou assustada, porque vou ter de voar até lá sozinha [com ele], sem saber o que o futuro nos reserva", admitiu a mãe da criança.
 
A família de Kian vai continuar a angariar fundos através de financiamento coletivo online para assegurar uma "terapia de reincidência", no caso de o tratamento não resultar e de a doença voltar.



Fonte Só Noticia Boa

Siga @condominos
T.O